Seguidores

domingo, 4 de dezembro de 2016

...fragmentos


... era uma casa de muitos cômodos. assoalho encerado e desencerado pelos muitos pezinhos de areia correndo prá lá e prá cá

...o bonde atravessando a cidade, fazendo tremer as paredes dos quartos, onde em tempos de chuva forte servia de refúgio e de santuário prás rezas à Santa Bárbara e São Jerônimo.
velas acesas, as imagens e muita fé.

...os olhos doces da Maria( porque ela tinha nome e não era uma Maria qualquer). Era a Maria sem dentes com  o sorriso mais bonito que já vi.

... o corredor do lado de fora era comprido. Cabia muitos sonhos..

... aquela mesa servia de cadeira pra ficar do tamanho do vovô.

... a maternidade era tão perto. Talvez por isso nasceram sete.

...ah! aquela linha fininha e a vovozinha fazendo crochê!

... do tempo que cantar"nana neném que a cuca vem pegar" já assustava as criancinhas.


domingo, 27 de novembro de 2016

Saudade desse lugar de abrir janelas
e das tantas vozes que ouvi.
Tudo tão morto aqui...

sexta-feira, 30 de setembro de 2016



Dividir o tempo, o sonho, a estrada
Transformar, ser transformado
Encontrar caminhos de partida
comemorar chegadas 
nunca, nunca deixar de ser 

regina ragazzi

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Que SAUDADE de TODOS
De tudo aqui
Desse meu pedaço de mundo perdido num tempo que já nem sei
De cada verso, cada poema
cada visita, de todo carinho que recebi
O tempo parou
O tempo mudou
Eu mudei, não sei...
SAUDADE SAUDADE SAUDADE

regina ragazzi

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

...

um  e outro pássaro
que os olhos viram
no céu de dezembro

um e outro olhar
no céu de dezembro
... e só viram passaros...

regina ragazzi

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

...

as asas do pássaro
brisam flores à sombra
nesta manhã de sol ardente

regina ragazzi

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

...

será que me lembrarei das horas passadas à janela cismando sonhos?
e do fardo, qual o peso que levarei nos ombros?
os dias um dia serão todos iguais e rirei como criança
e brincarei como criança que acaba de nascer
e vai desaprendendo coisas que sabia
e tudo será tão indiferente e tão sem...
...o quê mesmo??
os pés caminham lentos,
mas os passos vão pulando  amarelinhas
(eles têm pressa), eu não.
nosso tempo anda em desacordo
quanto mais ele acelera,  mais me desgoverno

regina ragazzi

terça-feira, 10 de novembro de 2015

...

só o que não muda é essa janela aberta 
com o vento de ir e vir sobre o parapeito.
brincadeira de não ter o que fazer.
esse ladrão, de tantas mãos, 
a me tocar no escuro

regina ragazzi



sábado, 7 de novembro de 2015

...

lamber a cria, que mal há?
lambo a cria vez ou outra
mesmo que imperfeita
(até porque imperfeita!)
gosto bom, cheiro bom
de coisa única,
coisa eu

bom ter aprendido todo o alfabeto

regina ragazzi

domingo, 18 de outubro de 2015

...

as ruas que me desertam
desenhadas na palma da mão
têm  tamanhos  infinitos
é sina essa secura que me cerca
essa chuva que não chega aos pés
em nenhuma estação
é rara essa raiz que cresce entre os dedos sem arejo,
faminta de cor, de olhos úmidos
apontando em outra direção

regina  ragazzi

terça-feira, 29 de setembro de 2015

...

ando na contramão do verso
do belo
do correto
autonomia total pra escrever"o meu certo"
despreocupa-me o entendimento
meus nadas não estão fora, estão dentro...

regina ragazzi



domingo, 27 de setembro de 2015

...

pra o corte na língua
a língua sem corte ameniza
o acre da fruta adocica
e não faz mal engolir a saliva

regina ragazzi


quinta-feira, 24 de setembro de 2015

...

nesse rio tem peixe
nesse rio eu rio do riso do peixe
nessa água que daqui de fora me vejo
Límpida que só!!

regina ragazzi



domingo, 20 de setembro de 2015

...

celebremos  pois essa distorção de coisas
esse descomprometimento com o que já há
sejamos criativos,  criemos inutilidades literárias
vamos colocar tudo numa panela e ver no que dá

regina ragazzi