Seguidores

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Frenesi




Eis que me queima esse fogo
Me arde  por todo o corpo
Sob a fina transparência
Da veste que não me veste
Do vento que não me acalma

Eis que me entrego toda
Num deleite que extasia
Poro... pele...pelos ...corpo...
Deixo me engolir esse fogo
Me incendiar todo o ventre

Eis que me derreto toda
Num frenesi incontido
E me vem uma moleza tonta
Depois do meu último grito...

regina ragazzi

4 comentários:

  1. Muito bom, minha cara!

    Excelente composição de palavras harmoniosamente trabalhadas!

    Parabéns!

    Muita Paz!

    ResponderExcluir
  2. Vamos festejar os 500? Vem! Tô te esperando! Só falta você! Uma 3ªF iluminada e repleta de bênçãos! Abraço fraterno e carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. - Se você soubesse a saudade que tava eu de ti e tua poesia. Há dias não ia no meu blog, porém fui e vi seu comentário em "busca", foi como cheguei aqui. Coincidentemente, postei um poema enfocando a saudade, não sei de sua ausência na casa da poesia, nem sei se vão gostar do que fiz, mas, enfim tô aqui para comentar teu "frenesi" um poema que invade as artérias, e veicula os versos, por todo nosso corpo; transpondo adrenalina, e eu olho dentro dos teus olhos, através dos vocábulos, e vejo uma menina, adornada como um paraíso: "Eis que me queima esse fogo/Depois do meu último grito"
    versos de abalar as estruturas psíquicas rs rs,
    ............Mário Bróis.........

    ResponderExcluir
  4. Olá! boa tarde!Poetisa!
    Explorou bem a explosão do amor!A paixão e frenesi!Gostei!
    Boa semana!
    Beijos carinhosos!

    ResponderExcluir

Obrigada por ter vindo. Deixe seu comentário. Bj carinhoso